Início | Efemérides
Tamanho de letra normal Aumentar o tamanho de letra Diminuir o tamanho de letra
Pesquisa de Efemérides
Pesquisa geral
Dia
Mês
Ano
Ordenar por
 
[limpar dados]


Nº de registos : 1311 ( 421 até 441 )
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34 | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40 | 41 | 42 | 43 | 44 | 45 | 46 | 47 | 48 | 49 | 50 | 51 | 52 | 53 | 54 | 55 | 56 | 57 | 58 | 59 | 60 | 61 | 62 | 63 | 64 | 65 | 66

30/8/1799

O Bispo da Diocese visita Castelo de Vide e as obras em curso da imponente Igreja Matriz da Vila, a Igreja de Santa Maria da Devesa. Anima o Vigário e os beneficiados a prosseguirem como até então. Louva o Beneficiado António Vicente Colaço pela "sua inteligência e exacção de contas", e o Vigário, Padre Francisco Nunes da Silva, pela sua abnegação e desinteresse, sacrificando os seus próprios cabedais.

[+ info]
17/1/1800

Natural de Castelo de Vide, de que tomou o nome de religioso franciscano, Frei Rafael de Castelo de Vide morre nesta data em São Tomé, onde durante vários anos foi bispo e governador, múnus em que a sua empenhada acção foi relevante.

[+ info]
21/12/1800

É distinguido com o Grau de Cavaleiro Professo da Ordem de São Bento de Avis o viticastrense António Tavares Maggessi, então Capitão do Regimento de Infantaria de Castelo de Vide.

[+ info]
21/2/1801

A Espanha, aliada à França, declara guerra a Portugal. Castelo de Vide é de novo alvo, como Marvão, Portalegre, etc., das investidas dos espanhóis. É uma campanha infeliz para os portugueses, apesar de curta, e se assinalou com a perda de Olivença.

[+ info]
2/6/1801

A praça de Castelo de Vide é tomada pelo exército espanhol aliado de Napoleão. A ocupação durou até 24 de Novembro desse ano.
Já na véspera da capitulação o Governador de Portalegre, Mateus de Pina Pereira Mourão, entregara também a cidade.

[+ info]
6/6/1801

Celebra-se nesta data o tratado de paz com a Espanha e a França em que perdemos Olivença. Castelo de Vide que estava em poder dos espanhóis só foi evacuada em Novembro.

[+ info]
25/6/1801

O distinto político, José Xavier Mousinho da Silveira, natural de Castelo de Vide, é nesta data bacharelado em leis na Universidade de Coimbra. No ano seguinte realiza-se o acto de formatura com a classificação de “nemine discrepante”, a 10 de Junho.


24/11/1801

Castelo de Vide é retomado aos espanhóis pelas tropas portuguesas. A ocupação da praça durava desde 2 de Junho desse mesmo ano.

[+ info]
4/1/1802

É nomeado Major graduado da Guarda Real da Polícia o castelovidense Francisco de Paula Maggessi, que viria a fundar o ramo brasileiro desta família.

[+ info]
14/1/1802

É promovido a Sargento-mor o capitão do Regimento de Infantaria de Castelo de Vide, Francisco de Paula Maggessi, natural desta vila.

[+ info]
3/2/1802

É nomeado prior da Igreja de São Tiago Maior de Castelo de Vide, o Padre José Justino Ribeiro Correia.

[+ info]
15/2/1802

Na eleição do Juiz Vedor dos panos de Castelo de Vide em que se propunha, com parecer favorável do corregedor da comarca e indicação do Infante Regente, um mestre de Portalegre, os artífices aprovam, mas com a cláusula de ele vir morar na Vila.

[+ info]
24/6/1802

Atinge o posto de Alferes no Regimento de Infantaria de Castelo de Vide, onde se alistara em 1793, Tomás Marcelino Maggessi, natural desta vila, filho de Tomás Maggessi e irmão de Francisco de Paula e António Tavares Maggessi.

[+ info]
1/8/1802

Estreia-se Mousinho da Silveira, que se formara havia pouco como advogado, defendendo uma causa de sua própria mãe por motivo de um aforamento da célebre Herdade da Silveira.


16/11/1802

Nasce em Castelo de Vide Frei José Godinho Juzarte de Sequeira Sameiro, filho de Manuel Dionísio Carrilho de Sequeira e de Joana Catarina da Costa Juzarte, o irmão mais novo do Dr. Sequeira Sameiro, instituidor da Fundação Nossa Senhora da Esperança.

[+ info]
2/12/1802

São inquiridas testemunhas, principalmente pessoas de Castelo de Vide, que abonem José Xavier Mousinho da Silveira no processo para a sua admissão à leitura do Desembargo do Paço, como candidato à magistratura judicial. É aprovado.

[+ info]
11/2/1803

Por provisão do Príncipe Regente D. João é autorizado o Padre Vicente Xavier Magro Roxo, Vigário de Santa Maria da Devesa, Matriz de Castelo de Vide, a fazer doação de 6000 cruzados à Confraria do Santíssimo Sacramento erecta naquela Matriz, com a obrigação de com os seus juros "se paramentar a Capela pública de São Vicente, extramuros da referida Vila, e se mandar ali dizer missa aos Domingos, e dias Santos, para comodidade de todos os quinteiros que residissem nos arrabaldes ...".

[+ info]
27/4/1803

O Juiz de Fora de Castelo de Vide apresenta à Câmara as instruções sobre o cultivo da batata, desconhecido na vila. Tomam o encargo da experiência: Joaquim Vicente Mouzinho Topete, Manuel de Barros Castelo Branco e Manuel Dionísio Carrilho de Sequeira.

[+ info]
10/5/1803

É promovido a Major efectivo de Infantaria da Guarda Real da Polícia Francisco de Paula Maggessi, de Castelo de Vide, cujo pai, de origem italiana, se fixara em Portugal e ainda hoje tem familiares na região, descendentes estes de seu irmão António.

[+ info]
15/11/1803

Por alvará desta data é feita a mercê do ofício de Tabelião das Notas da Vila a favor de Francisco Plácido.

[+ info]




Nº de registos : 1311 ( 421 até 441 )
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34 | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40 | 41 | 42 | 43 | 44 | 45 | 46 | 47 | 48 | 49 | 50 | 51 | 52 | 53 | 54 | 55 | 56 | 57 | 58 | 59 | 60 | 61 | 62 | 63 | 64 | 65 | 66