Início | Personalidades
Tamanho de letra normal Aumentar o tamanho de letra Diminuir o tamanho de letra
Pesquisa de Personalidades
Pesquisa geral
Personalidade
 

Francisco Morato Roma (1588-1670)

Nasceu em 4 de Outubro de 1588, em Castelo de Vide, filho de João Morato, mercador, e de Maria Calado, neto paterno de Pedro Afonso Neves e de Inês Álvares, e materno de Gonçalo Fernandes e de Filipa Mendes Roma, todos naturais de Castelo de Vide.

Pertencia o distinto médico à família dos Moratos, ou Mouratos do pé da Torre, de Castelo de Vide, mencionando o Dr. P. M. Laranjo Coelho mesmo a possível existência do seu solar ao pé da Torre (talvez a de menagem no Castelo).

Era irmão de Frei Gonçalo Fernandes Roma, que foi durante cinquenta anos vigário da Igreja Matriz de Alpalhão.

Formando-se primeiramente em filosofia pela Universidade de Évora, licenciou-se depois em medicina na Universidade de Coimbra, instituições onde foi patente o seu talento. Exerceu a medicina na sua terra e em outras localidades do Alto Alentejo, alcançando grande reputação como médico bem como pela sua índole alegre e pela afabilidade com que atendia os doentes. D. Teodósio, Duque de Bragança, conhecedor da sua competência e prestígio, nomeou-o em 1619 médico da sua casa do Paço Ducal de Vila Viçosa. O filho, o futuro Rei D. João IV, confirmou-o no cargo e em 1640, ao subir ao trono, levou o Dr. Morato Roma para a Corte como médico da Real Câmara, nomeando-o para este cargo em 9 de Agosto de 1642.

Uma das curas que mais o celebrizou foi a que fez no Soberano, salvando-o quase miraculosamente, como reza a tradição. Estava o Rei em Salvaterra quando foi atacado pela doença diagnosticada de supressão superior (retenção de urinas). Publicou o célebre médico em 1655 a descrição clínica da doença sob o título de “Observação do achaque que sua majestade teve em Salvaterra e de que livrou milagrosamente. Em linguagem, para que asi como todos grandes e pequenos tiverão o devido sentimento no manifesto perigo, tenhão o gosto de ver o milagroso e felice sucesso”.

Além de outros escritos, publicou, com várias edições, "Luz da Medicina", livro este que foi usado durante mais de cem anos por diversas gerações de clínicos. A primeira edição surgiu em 1664, sendo a última de 1753.

Este notável viticastrense foi também médico da Rainha D. Luísa de Gusmão e de seus filhos D. Afonso VI, bem como de D. Pedro II, que muito o estimava.

Ainda hoje se mantém a “Quinta do Roma”, em Lisboa, propriedade adquirida pelo Dr. Francisco Morato Roma, e que se mantém na mesma família após inúmeras gerações (ver MATOS, José Sarmento de; PAULO, Jorge Ferreira, Caminho do Oriente - Guia Histórico I, pp 140-147). Nasceu nesta quinta, no séc. XIX, Francisco Manuel Trigoso de Aragão Morato.

Casou o Dr. Morato Roma em primeiras núpcias com Isabel Gomes, filha de Bartolomeu Dias e de Inês Dias, todos naturais e moradores em Alpalhão. Casou de novo por volta de 1634 com Maria de Andrade do Vale, filha de Marcos de Andrade e de Ana Fernandes, todos naturais e moradores em Guimarães. E em 22 de Junho de 1669 consorcia-se este célebre médico com D. Leonor Delicado, natural de Alpalhão, viúva do benemérito António Mouzinho Galeano, fidalgo de antiga linhagem, natural desta Vila de Castelo de Vide, que com sua mulher, D. Leonor, erigira, em 1639, a ermida de Nossa Senhora da Vitória, nesta vila, tendo-lhe doado avultados bens.

O Dr. Morato Roma teve dois filhos, João Morato Roma, Cavaleiro da Ordem de Cristo e Escrivão da Mesa Grande da Alfândega de Lisboa, que casou com D. Maria Lobo da Franca, e D. Maria Calado Roma, açafata do Príncipe D. Teodósio, enquanto menino, e que casou com Francisco Leitão de Sousa, fidalgo da Casa Real e Cavaleiro da Ordem de Cristo.

Pouco duraria o último casamento do Dr. Francisco Mourato Roma, pois sua mulher falecia um mês depois. E em 11 de Janeiro de 1670, com cerca de 82 anos morre este distinto castelovidense, o Dr. Francisco Morato Roma.

Encontra-se sepultado na Igreja Matriz de Alpalhão, orago de Nossa Senhora da Graça, sob uma lápide ali ainda existente.

Diogo Salema Cordeiro

omeprazol 80 mg omeprazol na gravidez omeprazol english
nix uotan nix yosemite nix expression language
lidocain lutschtabletten lidocain 5 salbe lidocain lutschtabletten

Bibliografia :
- COELHO, Possidónio Mateus Laranjo - Três Médicos Cientistas Naturais de Castelo de Vide. Coimbra : Tip. da Coimbra Editora, Limitada, separata de "O Instituto", vol. 116, 1953.

- GORDO, João António - Castello de Vide - Bosquejo historico d'esta villa notavel Seguido de rapida noticia sobre a sua vida actual. Descripção de seus monumentos e institutos pios, notas biographicas de seus filhos illustres, etc., etc. Illustrada com muitas gravuras. Portalegre : Typ. Fragoso & Leonardo, 1903.

- MAIA, Carlos Roma Machado de Faria e - Memórias da Villa Roma. Lisboa : Edinova, 2000.

- MATOS, José Sarmento de; PAULO, Jorge Ferreira - Caminho do Oriente - Guia Histórico I. 1ª Ed.Lisboa : Livros Horizonte, 1999.

- MORATO, Francisco Manuel Trigoso de Aragão; ANDRADA, Ernesto de Campos de (coord. e revisão) - Memórias de Francisco Manuel Trigoso de Aragão Morato - começadas a escrever por êle mesmo em princípios de Janeiro de 1824 e terminadas em 15 de Julho de 1835. Coimbra : Imprensa da Universidade, 1933.

- REPENICADO, António Vicente Raposo - Castelo de Vide nas Letras e nas Ciências (Escritores e Bibliografia). Castelo de Vide : separata do Jornal Terra Alta, 1970.

- ROMA, Francisco Morato - Luz da Medicina, Pratica Racional, e Methodica, Guia de Enfermeyros. Directorio de principiantes, e summario de remedios para poder acodir e remediar os achaques do corpo humano, começando do mais alto da Cabeça, e descendo athe o mais baixo das plantas dos pes. Obra muito util, e necessaria, não so para os Professores da Arte da Medicina, e Cirurgia, mas tambem para todo o Pay de familias; De que se poderão aproveitar pobres, e ricos na falta de Medicos doutos.. Coimbra : Na Oficina de Joam Antunes, 1727.

- ROMA, Francisco Morato - Observaçam do achaque, que Sua Real Magestade teve em Salvaterra, de que livrou milagrosamente : em linguagem, para que assi como todos grandes, & pequenos tiveraõ o devido sentimento no manifesto perigo, tenhão o gosto de ver o milagroso, & felice sucesso . LIsboa, 1655.

- ROMA, Francisco Morato - Luz da medicina, pratica racional, e methodica : guia de infermeiros, directorio de principiantes. . Lisboa : Officina de Domingos Carneyro, 1686.

- ROMA, Francisco Morato - Luz da Medicina, Pratica Racional, e Methodica, Guia de Enfermeyros. Directorio de principiantes, e summario de remedios para poder acodir e remediar os achaques do corpo humano, começando do mais alto da Cabeça, e descendo athe o mais baixo das plantas dos pes. Obra muito util, e necessaria, não so para os Professores da Arte da Medicina, e Cirurgia, mas tambem para todo o Pay de familia; De que se poderão aproveitar pobres, e ricos na falta de Medicos doutos. Coimbra : Na officina de Francisco de Oliveyra, 1753.

- ROMA, Francisco Morato - Luz da Medicina, Pratica Racional, e Methodica, Guia de Enfermeyros. Directorio de principiantes, & summario de remedios para poder acodir & remediar os achaques do corpo humano, começando do mais alto da cabeça, & descendo athe o mais baixo das plantas dos pes. Obra muito util, e necessaria, não so pera os Professores da Arte da Medicina, & Cirurgia, mas tambem pera todo o Pay de familias; De que se poderão aproveitar pobres, & ricos na falta de Medicos doutos. Coimbra : No Real Collegio das Artes da Companhia de IESU, 1726.

- ROMA, Francisco Morato - Luz da Medicina, Pratica Racional, e Methodica, Guia de Enfermeiros, Directorio de principiantes. Coimbra : Na impressão de Joam Antunes, 1700.

- VIDEIRA, César - Memória Histórica da Muito Notável Villa de Castello de Vide. 2ª ed.,Lisboa : Colibri, 2008.

- VIDEIRA, César - Memória Histórica da Muito Notável Villa de Castello de Vide. Lisboa : Empresa da História de Portugal, 1908.


« voltar à página anterior
Imagem