Início | Personalidades
Tamanho de letra normal Aumentar o tamanho de letra Diminuir o tamanho de letra
Pesquisa de Personalidades
Pesquisa geral
Personalidade
 

Maria da Cruz Repenicado Dias (1915-2008)

Maria da Cruz Repenicado Dias nasceu em Castelo de Vide, na Rua de Santo Amaro, em 29 de Novembro de 1915, filha de António do Carmo Dias, de 27 anos de idade, aspirante de finanças, natural da freguesia de Santa Maria do Concelho de Marvão, e de Rita dos Prazeres Repenicado Dias, de 20 anos, natural da freguesia de Santa Maria da Devesa, de Castelo de Vide, domiciliados na referida rua. Neta paterna de João da Conceição Dias e de Antónia da Estrela Picado Dias, e materna de Pedro Joaquim Repenicado e de Maria Jacinta Barrento Galhardo. Foram testemunhas: João da Conceição Dias, casado, morador na Rua Mousinho de Albuquerque e Pedro Joaquim Repenicado, solteiro, maior, ambos proprietários e avós da registada (Registo de 28 de Dezembro de 1915). 

Estudou em Castelo de Vide até à 3ªa classe da instrução primária, indo depois para o Colégio Andaluz, em Santarém, onde completou o 3º ano do liceu. Em Lisboa frequentou o Liceu Maria Amália até ao 5º ano, fazendo os 6º e 7º anos no Liceu Pedro Nunes. No ano seguinte matriculou-se na escola de enfermagem da Irmã Eugénia, na rua de S.ª Marta, em Lisboa, concluindo aí o curso com altas classificações.

Como bolseira do estado foi para os Estados Unidos, Washington, D. C. para o Providence Hospital e frequentou naquela cidade a Universidade Superior de Enfermagem durante um ano. Voltando a Portugal, depois de alguns anos na Direcção das Caixas de Previdência, na Secção de Enfermagem. Maria da Cruz foi admitida a 29/12/1951 na então denominada Escola de Enfermagem dos Hospitais da Universidade de Coimbra, onde também participou na formação da Escola de Enfermagem Dr. Ângelo da Fonseca. Nesta cidade tirou o curso de parteira e ocupou o mais alto cargo na organização do ensino de enfermagem da altura, tendo sido a primeira Monitora.

Em 9 de Outubro de 2007 a Escola Superior de Enfermagem de Coimbra inaugurou cinco laboratórios de práticas clínicas simuladas, completamente reformulados e apetrechados com as mais modernas tecnologias e equipamentos para o ensino de enfermagem. Nessa oportunidade homenageou cinco professores da Escola, já aposentados, personalidades que se destacaram no progresso do ensino de Enfermagem em Portugal: Maria da Cruz Repenicado Dias, José Pinto Teles, Maria Fernanda Resende, João Valente e Nídia Rodrigues Mendes Salgueiro. À Enfermeira Maria da Cruz Repenicado Dias foi, nesta cerimónia, atribuído o seu nome ao novo Laboratório de Enfermagem Materno-Infantil. Esta Escola Superior de Enfermagem de Coimbra resultou da fusão da Escola Superior de Enfermagem Dr. Ângelo da Fonseca e da Escola Superior de Enfermagem de Bissaya Barreto conforme Artigo 4º do Decreto-Lei nº 175/2004, de 21 de Julho (DR nº 170 - I Série A).

Referindo-se à importante carreira de Maria da Cruz Repenicado Dias, o Boletim nº 1, de Outubro de 2007, da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, a páginas 50 e 51 (ano em que foi homenageada pela Escola), permitimo-nos destacar: “ (…) Foi a primeira Monitora Chefe da Escola, tendo imprimido uma nova filosofia na organização das enfermarias escola e nos métodos pedagógicos adoptados e que se inspiravam no modelo dos Estados Unidos da América (…)  foi a primeira professora da Escola a fazer o Curso de Partos na Universidade de Coimbra, era dona de uma cultura profissional muito evoluída para a época, lutou pela organização da profissão de enfermagem e do seu ensino, junto com José Pinto Teles e Maria Fernanda Resende, foi um dos grandes pilares para a enorme remodelação, inovação e humanização operada nos Hospitais da Universidade de Coimbra e no ensino de enfermagem nos anos 50. (…) Foi no seu tempo que se criaram as enfermarias escolas, que se transformaram em enfermarias modelares (…) foram também com o seu envolvimento, criadas as brigadas sanitárias de família".

Maria da Cruz Repenicado Dias foi também membro da Comissão Instaladora do Lar das alunas e enfermeiras. Em qualquer das responsabilidades que assumiu como docente revelou sempre grandes preocupações em adoptar um Modelo de Formação, que designava por  “Modelo de formação familiar, dirigido a cada aluna” que, como dizia, levasse as estudantes a “formar-se” além de instruir-se, só isto as levaria a tornar-se “mulheres completas e técnicas perfeitas” condição essencial, em sua opinião, para se ser enfermeira num tempo em que a Enfermagem em Portugal procurava acompanhar a evolução no mundo e se marcava pela aliança entre o trabalho intelectual e a habilidade de mãos (Repenicado Dias, A educação e o ensino na Escola de Enfermagem dos Hospitais da Universidade de Coimbra, 1953).

Completando com igual empenhamento e competência a sua importante carreira, e até se aposentar, desempenhou as funções de Superintendente dos Serviços de Enfermagem dos Hospitais Civis de Lisboa, cargo em que foi empossada a 18 de Janeiro de 1954 pelo Enfermeiro-Mor, Dr. Emílio Faro.  

Maria da Cruz não casou e completando quase 93 anos, faleceu em Lisboa a19 de Novembro de 2008 na freguesia de S. Jorge de Arroios.

Em 14 de Agosto de 2009 a Câmara Municipal de Castelo de Vide inaugurou nesta vila a Rua Enfermeira Maria da Cruz Repenicado Dias, topónimo dado a um novo arruamento, no Bairro de Santo António.

Diogo Salema Cordeiro

nix uotan foliehalsbrand.site nix expression language

« voltar à página anterior
ImagemImagem