Início | Personalidades
Tamanho de letra normal Aumentar o tamanho de letra Diminuir o tamanho de letra
Pesquisa de Personalidades
Pesquisa geral
Personalidade
 

José Vicente Cordeiro Malato Beliz (1920-1993)

Filho do primeiro matrimónio do Dr. Francisco Maria Beliz e de Maria de d’Assunção Malato Beliz, ele natural de Castelo de Vide e ela de Elvas, o Eng.º José Vicente Cordeiro Malato Beliz nasceu a 25 de Setembro de 1920 na Freguesia de Alcântara, em Lisboa. 

Engenheiro Agrónomo, terminou o seu curso em 16 de Dezembro de 1946,no Instituto Superior de Agronomia, de Lisboa, com a tese "Sementes de Arroz. Contribuição para o estudo de sementes seleccionadas com garantia oficial", com a classificação de 16 valores.

Logo em 1 de Março de 1947 é colocado na Estação de Melhoramento de Plantas, em Elvas, como chefe do Laboratório de Fitossistemática e Ecologia Vegetal. Naquela cidade alentejana fixou residência e ali viveu até falecer.

É longo e valioso o seu curriculum no que respeita à sua prestigiosa actividade científica. Pela sua extensão, dele apenas se salienta aqui:

Em 1949, depois de um estágio no Departamento de Fitossistemática e Geobotânica da Estação Agronómica Nacional, participou numa excursão científica a Montpellier; como bolseiro da Estação de Melhoramento de Plantas, efectuou em 1950 um estágio em França na "Station Internationale de Geobotanique Méditerranée et Alpine (Montpellier); em 1953 é nomeado para fazer parte do Grupo de Trabalho para os Problemas de Pastagens e Forragens da Comissão Nacional da FAO, no qual passou a exercer as funções de secretário; em 4 de Dezembro de 1958 proferiu uma conferência no Círculo Agronómico da Federação Nacional dos Produtores de Trigo, intitulada "A fitossociologia e as zonas económicas da cultura do trigo"; pronunciou uma outra conferência, em 1959, na Alemanha, sobre "A vegetação da Ilha da Madeira", ilustrada com um filme colorido da sua autoria; participou em 1960, como delegado português, em Roma, na 6.ª Reunião do Grupo da FAO para o Desenvolvimento das Pastagens e Forragens da Zona Mediterrânica; na cidade de Madrid, em 1963, participou na 7ª Reunião do mesmo Grupo de trabalho, em que foi eleito Presidente da Sub-Comissão para o inventário e estudo das pastagens naturais; de 2 de Novembro a 2 de Dezembro de 1964, procedeu em Cabo Verde ao estudo das pastagens naturais e da vegetação da Ilha de Maio; como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, esteve em São Paulo, Brasil, no 9º Congresso Internacional de Pastagens, em 1975; em 1965/1966 realizou o levantamento total da vegetação do Algarve, para fixação de zonas de protecção com vista ao plano de valorização turística daquela província; presidiu em Roma, em 1966, à Reunião da Comissão para o Inventário dos Recursos de Pastagens e sua Avaliação, promovida pela FAO; por alvará da Chancelaria das Ordens Portuguesas, de 10 de Outubro de 1967, é-lhe concedido o grau de Comendador da Ordem do Mérito Agrícola e Industrial (Classe de Mérito Agrícola); em Fevereiro de 1972, em Paris, foi eleito representante português no Conselho de Administração do "Centre International pour la Coopération des Recherches en Agriculture", com sede em Zurique; em 1976 é nomeado presidente da Secção de Biogeografia da Sociedade de Geografia de Lisboa; em 1980 passou a leccionar as cadeiras de Biologia Vegetal II, Aplicação de Material Vegetal I e Ecologia II, na Universidade de Évora, como Professor Associado Convidado desta Universidade; Director da Academia Mediterrânea de Ciências em 1982; em 21 de Maio de 1984 realizou nas instalações da FAOJ, em Portalegre, uma conferência intitulada: "Valor Científico e Interesse Didáctico da Flora e da Vegetação da Serra de São Mamede"; tomou posse em 22 de Agosto de 1986 de Professor Associado da Universidade de Évora; no salão do Quartel dos Bombeiros Voluntários de Castelo de Vide, em 28 de Março de 1987, proferiu uma palestra com o título "O Castanheiro na Economia e na Paisagem"; em 1987 no decurso dum encontro sobre soutos e castinçais, realizado em Castelo de Vide, Marvão e Portalegre, fez uma exposição sob o título "As Sociedades Vegetais e a Origem do Castanheiro em Portugal"; tomou posse em 1989 de membro da Comissão Científica do Parque Natural da Serra de São Mamede, em representação da Universidade de Évora; a partir de 1 de Julho do mesmo ano, passou a exercer as funções de Professor Catedrático da Universidade de Évora; ainda em 1989, é nomeado Presidente do Conselho Científico da área Departamental de Ciências da Natureza e do Ambiente da mesma Universidade.

Pertenceu a mais de 20 sociedades científicas, nacionais, e estrangeiras, elevando-se a mais de 120 os trabalhos que publicou. 

Vinha com muita frequência a Castelo de Vide, a terra de seu pai, de sua mulher e, de certo modo, também sua, aí exercendo durante alguns anos o cargo de Presidente da Câmara Municipal. Foi também Deputado à Assembleia Nacional, cargos estes que exerceu por pouco tempo. A política não o seduzia, nem para ela sentia vocação. Só a consciência de que lhe cabiam também esses deveres cívicos, o levou a aceitar esse múnus. 

José Vicente Malato Beliz casou em Castelo de Vide, em 29 de Janeiro de 1948, com Maria Isabel Cordeiro Ramos, filha de Manuel Godinho de Moura Ramos e de Berta Augusta de Almeida Durão Cordeiro Ramos. Do seu casamento houve cinco filhos: Maria Helena Ramos Malato Beliz Júdice, casada com António José Guerreiro Júdice, Ana Maria Ramos Malato Beliz Albuquerque Barroso, casada com António João Roque Albuquerque Barroso, José Manuel Ramos Malato Beliz, casado com Maria Manuel Bernardo Nascimento Malato Beliz, Maria da Conceição Ramos Malato Beliz, casada com Amarino Brites Lebre, e Maria Margarida Ramos Malato Beliz Guerra, casada com Manuel António Nogues Guerra.

Solicitou a aposentação antecipada da função pública em Novembro de 1983, por motivo de doença, sendo-lhe concedida em definitivo no mês de Março de 1985, continuando no entanto a sua aplicada actividade científica e docente.

O seu estado de saúde foi piorando, falecendo com 72 anos de idade, a 5 de Julho de 1993, em Lisboa.

Diogo Salema Cordeiro


Bibliografia :
- BELIZ, José Vicente Cordeiro Malato - A Serra de S. Mamede e a Conservação da Natureza - Aspectos Paisagísticos, Científicos e Económicos. Castelo de Vide, 1971.

- BELIZ, José Vicente Cordeiro Malato - Curriculum Vitae do Engenheiro Agrónomo (...). : Ed. de autor, Dezembro de 1991.


« voltar à página anterior
ImagemImagem