Início | Património Imaterial
Tamanho de letra normal Aumentar o tamanho de letra Diminuir o tamanho de letra
Pesquisa de Património Imaterial
Pesquisa geral
Categoria
Designação
  [limpar dados]

Os anexins em Castelo de vide


O falar popular no velho burgo de Castelo de Vide tem, como outras localidades, os seus tradicionais particularismos de linguagem, que ao longo do tempo, das circunstâncias e das gerações, que sucessivamente se renovam, por vezes se vão perdendo e se vão substituindo por outros termos ou formas de dizer. Não é o caso do termo “anexim” em Castelo de Vide. Tem-se assim observado, ouvindo os mais velhos e as suas memórias, que em Castelo de Vide sempre se usou, pode dizer-se, o termo anexim em vez de alcunha, palavra esta que se fala quase por todo o lado, contrariamente ao que se passa nesta vila alentejana. Mostram os dicionaristas que “anexim” não tem o mesmo significado que o termo “alcunha”, nem, portanto, são sinónimos. Fica a explicação desta nossa antiga maneira de falar para os entendidos. 

A relação de anexins ouvidos em Castelo de Vide, que o portal “Fonte da Vila – Castelo de Vide, História e Património” agora insere nas suas páginas, tem também ela a sua história. Desde há mais de três dezenas de anos que fomos anotando, entre outras curiosidades locais, os anexins que íamos ouvindo e que, nos últimos anos, procurámos recolher de forma mais sistemática, com inúmeras e valiosas contribuições, cujo agradecimento, embora em geral, justamente se consagra nestas linhas. A sua anotação ao longo do tempo, como se disse, não visou nenhum estudo, quer etnográfico, sociológico, antropológico ou de qualquer outra área, mas sim o registo como curiosidade, não de todo fútil, antes interessante para o bom observador. Assim, ao apreciador atento a curiosidades da cultura popular, a leitura desta lista de anexins em Castelo de Vide, poderá revelar, ainda assim, algumas peculiares características: o poder imaginativo, a caricatura, a síntese apropriada e até o humorismo ou a ironia. Apresentados sem classificação e por ordem alfabética, pode também, no entanto, ver-se neles algumas eventuais explicações da sua origem ou motivação. Entre outras possíveis, é o caso dos que respeitam a uma localidade, os que aludem a uma profissão, os que derivam da aparência física ou do carácter pessoal.

É expressão disso e também de sentido de humor e sinal de sã convivência, um acontecimento recente e talvez inédito, não só em Castelo de Vide, que foi A “Festa dos anexins”, promovida por um divertido grupo de portadores destes cognomes. O cartaz, amplamente divulgado, convocava para a festa e apresentava um extenso rol de anexins.  

Sabemos todos que os anexins não se encomendam, nem se fabricam; nascem espontaneamente, circulam no falar de todos os dias e com o tempo e a constante renovação das vidas humanas, acabam desaparecendo. Deste modo, o conjunto de anexins, ou alcunhas, ouvidas no decurso de um período da vida de uma população, é parte, mais ou menos importante, do seu património imaterial. Assim, inscrever o presente testemunho na história e neste portal foi agora o nosso propósito. 

Castelo de Vide, Outubro de 2010.
Diogo Salema Cordeiro    


Ver ANEXINS de Castelo de Vide [PDF - 100 KB] 



« voltar à página anterior
Imagem